sexta-feira, julho 31, 2009

No-Knead Bread

Esta semana decidi dar uma folga para minha máquina de pão e fiz um No-Knead Bread, um pão rústico que não precisa ser sovado. A receita deste pão faz sucesso na blogosfera há mais de dois anos, mas eu o fiz pela primeira vez no começo deste ano, quando estava afastada do blog. Desde então já fiz várias vezes, e o resultado foi sempre o mesmo: um pão com casca crocante e miolo macio que não dá trabalho algum! A única coisa que ele exige é um pouquinho de planejamento, já que precisa ser preparado de véspera. É claro que eu usei a receita da Cris, porque tive a chance de provar o pão dela e adorei! E com as explicações detalhadas que ela dá, não há como errar. Se restar alguma dúvida, é só clicar aqui para assistir a um vídeo sobre o preparo deste pão.


Pão Rústico (Sem Sovar)

3 xícaras de farinha de trigo (430g)

1 1/2 xícara de água

1/4 colher (chá) de fermento biológico instantâneo para pão

1 1/2 colher (chá) de sal

Fubá, farinha ou farinha integral para polvilhar

Panela de ferro, vidro ou cerâmica com tampa

(eu usei o refratário da foto abaixo)

1) Misture os ingredientes secos em uma tigela média. Adicione água e incorpore com a mão ou espátula por 30 segundos a 1 minuto. A massa fica meio mole, não precisa acrescentar mais farinha.
2) Cubra a tigela com filme plástico ou tampa e deixe descansar por 12 a 18 horas em temperatura ambiente. Neste período o volume passa de meio litro para dois litros.
3) Após 12 a 18 horas, a massa estará cheia de bolhas. Retire-a da tigela e sobre uma
superfície enfarinhada, dobre-a como um envelope, sem sovar. Deixe descansar por 15 minutos coberta com filme plástico (desta vez eu cobri com um pano de prato e não vi diferença).
4) Depois dos 15 minutos de descanso, polvilhe um pano de prato (de algodão, não serve toalha felpuda) com fubá ou farinha, faça uma bola com a massa
e coloque-a com o lado das dobras para baixo sobre o pano. Polvilhe a massa com fubá ou farinha. Cubra com o próprio pano de prato e deixe crescer de 1 a 2 horas em temperatura ambiente ou até dobrar de tamanho.
5) Cerca de 15 minutos antes de colocar o pão para assar, pré-aqueça o forno a 220-250°C e deixe uma panela de ferro, vidro ou cerâmica aquecendo. Q
uando a massa estiver pronta, tire cuidadosamente a panela do forno e coloque a massa. (Não é preciso tirar a massa do pano com a mão, pois ela estará mole. É só deixar a massa "rolar" do pano para dentro da panela.) Tampe e asse por 30 minutos. Destampe e asse por mais 15 minutos, até dourar.

Não sei se é possível ver na foto, mas o miolo do pão está meio "verdinho": isso porque eu acrescentei 1 colher (chá) de tempero italiano à farinha (antes de adicionar a água), e ficou uma delícia!

segunda-feira, julho 27, 2009

Chá com Alice no País das Maravilhas

Vejam que coisa mais fofa este jogo de chá com ilustrações das personagens de Alice no País das Maravilhas! Eu adoraria ter um jogo de chá como este (à venda neste site), mas, para ser sincera, desde pequena eu achava "Alice no País das Maravilhas" do Walt Disney um desenho muito doido, com todas aquelas personagens bizarras, como o Coelho apressado, o Chapeleiro Maluco, a Largarta que fumava e a Rainha de Copas, que só sabia gritar "Cortem-lhe a cabeça!", coisas que eu nunca considerei adequadas para um desenho supostamente infantil.

Foi só na adolescência, quando li "Alice no País das Maravilhas" (e também "Alice Através do Espelho"), que pude constatar que o longa-metragem de animação é fiel à história de Lewis Carroll, considerada um clássico da literatura inglesa do gênero nonsense. E acabei de descobrir que Tim Burton está rodando a sua versão desse clássico, e o filme está previsto para estrear no começo de 2010. Com certeza ele deixará as personagens ainda mais psicodélicas: é só dar uma olhada em como Johnny Depp ficará como o Chapeleiro Maluco!

quinta-feira, julho 23, 2009

Applesauce Bread

Nos Estados Unidos, muitos bolos são chamados de "pães", como é o caso deste aqui. Muita gente pensa que eles são chamados assim por causa do formato, parecido com um pão de fôrma. Na verdade, eles são Quick Breads (Pães Rápidos), que utilizam fermentos químicos, como o fermento em pó, o bicarbonato de sódio e o cremor tártaro, e não fermentos biológicos como os pães em geral. Da família dos Quick Breads também fazem parte biscuits, muffins, panquecas e scones, além de quase todos os tipos de bolos. Como eu esperava, este bolo ficou bem úmido e saboroso, e acabou em um piscar de olhos! A receita original levava cravo em pó, nozes e uvas-passas, mas eu decidi não usar para ter um bolo simples e de sabor mais suave, que agradaria mais ao paladar "seletivo" do meu filho...


Bolo de Purê de Maçã

3 colheres (sopa) de manteiga ou margarina amolecida

1 xícara de açúcar

1 ovo

1 1/4 xícaras de purê de maçã

1 1/2 xícaras de farinha de trigo

3/4 colher (chá) de bicarbonato

3/4 colher (chá) de canela em pó

1/2 colher (chá) de fermento em pó

1/2 colher (chá) de sal

1/2 colher (chá) de noz-moscada ralada

Pré-aqueça o forno a 180° C. Na batedeira, bata a manteiga e o açúcar até virar um creme. Adicione o ovo e o purê de maçã e misture bem. À parte, misture a farinha, o bicarbonato, a canela, o fermento, o sal e a noz-moscada. Aos poucos, adicione esta mistura ao creme apenas até incorporar. Coloque a massa em uma fôrma de bolo inglês pequena (20cm x 10cm x 5cm), untada e enfarinhada. Asse por cerca de 40 minutos, ou até que um palito inserido perto do centro do bolo saia limpo. Deixe esfriar durante 10 minutos antes de retirar da fôrma.

terça-feira, julho 21, 2009

Outback Potato Soup

Atendendo ao pedido das leitoras Fabiana e Lúcia, eu finalmente consegui testar uma receita da sopa de batata do Outback. O problema é que, ao contrário da Sopa de Cebola, eu nunca experimentei essa sopa no restaurante, e não sabia qual deveria ser o resultado final! Só posso dizer que a sopa fica uma delícia: eu a servi a um casal de amigos no domingo e eles gostaram demais. Não sobrou nem uma gota! Embora a receita que achei na internet garanta ser bem parecida com a original, só quem já provou vai poder confirmar isso para mim. Então vou aguardar as opiniões de quem é fã desta sopa, combinado? ;o)


Sopa de Batata do Outback

3 batatas grandes, cozidas, descascadas e cortadas em cubinhos

100g de manteiga ou margarina

1 cebola pequena, picada

1/2 xícara (mal cheia) de farinha de trigo

1 litro de caldo de galinha

2 xícaras de água

Sal e pimenta-do-reino a gosto

1 pitada de manjericão

1 pitada de açúcar

200g de creme de leite (uma caixinha)

Para decorar: Bacon frito, picado; cebolinha picada; queijo ralado

Em uma panela grande, derreta a manteiga em fogo baixo. Acrescente a cebola picada e cozinhe até amolecer. Acrescente a farinha e mexa durante 3 minutos. Lentamente, adicione o caldo de galinha, sem parar de mexer (de preferência com um batedor de claras ou fouet). Acrescente a água, o sal, a pimenta, o manjericão e o açúcar. Deixe ferver, mexendo com frequência. Aos poucos, adicione o creme de leite, mexendo sempre. Adicione as batatas picadas à sopa. Deixe em fogo baixo por cerca de 5 minutos, até aquecer as batatas. Sirva a sopa em tigelas individuais, decoradas com bacon, cebolinha e queijo ralado. Como acompanhamento, sirva um belo pão australiano!

Rende 4 porções generosas.

sexta-feira, julho 17, 2009

Melado

Depois de receber dezenas de emails de leitores perguntando o que é melado, achei que seria interessante fazer um post a respeito desse ingrediente que está presente em inúmeras receitas americanas com o nome de molasses. O melado, ou "mel de engenho", é obtido da fervura do caldo de cana até ficar consistente, ao mesmo tempo em que é purificado com a retirada constante da espuma. Mais concentrado, batido até começar a cristalizar e moldado em formas de madeira, ele se transforma na rapadura. Para virar açúcar mascavo, deve ser batido até secar. O melado é, pois, um produto artesanal, sem aditivos.

Nos Estados Unidos e na Europa, costuma ser usado como calda para panquecas e como ingrediente em pães e bolos, combinado com canela, raspas de limão, cravo, gengibre, alcaravia, erva-doce, noz-moscada, frutas cristalizadas, banana, uvas passas, amêndoas e nozes. A cozinha cajun, do sul dos Estados Unidos, lança mão dele para besuntar assados e preparar molhos para carnes e frutos do mar. Aqui no Cinara's Place, o melado aparece em várias receitas, entre elas o Pão Australiano, Gingerbread Men, Gingersnaps e Pão Pumpernickel.


















Fonte: Revista Caras - Edição 662 - Ano 13 - Número 28

terça-feira, julho 14, 2009

Chocolate Waffles

Ultimamente eu tenho me esforçado para comer o mínimo possível à noite, para não dormir com o estômago pesado e para facilitar a digestão. Como diz a sabedoria popular, devemos ter um café da manhã de rei, um almoço de príncipe e um jantar de plebeu. É o que tenho tentado fazer, e os benefícios são evidentes. E, como todos sabem, eu sempre me identifiquei com os hábitos do desjejum norte-americano, mesmo sendo bem mais moderada nas calorias e gorduras. No final de semana passado decidi variar um pouco o nosso waffle tradicional e fazer a versão chocolate. Aproveitei que estamos na época de morangos para servi-los sobre os waffles, e a combinação ficou perfeita!


Waffles de Chocolate

1 1/2 xícara de farinha de trigo

1/3 xícara de chocolate (ou cacau) em pó

1/3 xícara de açúcar

1 colher (sopa) de fermento em pó

1/4 colher (chá) de sal

2 ovos

1 3/4 xícara de leite

1/2 xícara de óleo (eu uso de canola)

1 colher (chá) de extrato de baunilha

Em uma tigela, misture a farinha, o chocolate em pó, o açúcar, o fermento e o sal. Em outra tigela, bata levemente os ovos, o leite, o óleo e o extrato de baunilha. Acrescente à mistura de farinha de uma só vez. Misture apenas até incorporar, deixando a massa levemente "empelotada". Asse no aparelho de waffles, sem abrir a tampa, até parar de sair vapor pelas laterais. Retire e sirva com frutas polvilhadas com açúcar de confeiteiro, ou como sua imaginação mandar!

quarta-feira, julho 08, 2009

Oatmeal Blueberry Muffins

Agora vamos falar de muffins comestíveis de verdade: muffins de blueberry e aveia! Como eu não consigo passar muito tempo sem fazer muffins de blueberry (mirtilos), desta vez decidi fazer esta receita que é um pouco mais saudável, já que leva aveia e não apenas farinha de trigo. Fiquei com medo de ficarem secos demais, mas a aveia se incorpora bem à massa e os muffins ficaram bem fofinhos e saborosos! Como levam apenas açúcar mascavo, também não ficaram doces demais. São uma ótima opção para alternar com os muffins de blueberry tradicionais!


Muffins de Blueberry e Aveia

1 1/2 xícara de farinha de trigo

3/4 xícara de aveia em flocos finos

2 colheres (chá) de fermento em pó

1/2 colher (chá) de bicarbonato

1/4 colher (chá) de sal

1 ovo batido

3/4 xícara de leite

1/2 xícara de açúcar mascavo (apertado na xícara)

1/4 xícara de óleo (eu uso canola)

1/2 colher (chá) de extrato de baunilha

3/4 xícara de blueberries frescas ou congeladas


1. Unte 12 forminhas de muffins, ou forre-as com forminhas de papel.

2. Em uma tigela, misture a farinha, a aveia, o fermento, o bicarbonato e o sal. Faça um buraco no meio da mistura.

3. Em outra tigela, misture o ovo, o leite, o açúcar mascavo, o óleo e o extrato de baunilha. Acrescente essa mistura de uma só vez à mistura de farinha. Misture apenas até incorporar a farinha (a massa deve ficar com pelotes). Acrescente as blueberries e misture levemente. Coloque a massa nas forminhas preparadas, enchendo apenas 2/3 da capacidade.

4. Asse em forno pré-aquecido a 200° C durante 16 a 18 minutos, ou até dourar. Deixe esfriar nas forminhas, sobre uma grade, durante 5 minutos. Sirva mornos.

sábado, julho 04, 2009

Muffin

Olá! Meu nome é Muffin, e eu ainda não havia sido devidamente apresentado a vocês. Eu fui adotado no final do ano passado para ser irmãozinho do Cookie, que andava muito solitário... Cinara, minha nova mamãe, me encontrou através do Adote um Gato, e foi amor à primeira vista! Também pudera: eu sou carinhoso, brincalhão e adoro carinhos na barriga! Quando não estou brincando ou comendo, meu passatempo favorito é dormir. Seja em cima da máquina de lavar...

na cama, com meu irmãozinho Cookie...

ou de barriga para cima no sofá.

Modéstia à parte, eu sou muito fofo, não sou?